DAOs

Entenda o que são as Organizações Autônomas Descentralizadas e como elas estão revolucionando o modelo de negócios tradicional

O mundo tecnológico ganha mais uma sigla: DAOS

Da sigla Decentralized Autonomous Organization, DAOS, em bom português, significa Organização Autônoma Descentralizada. Isto é, uma organização como outra qualquer, mas que se diferencia das demais por ter suas normas definidas no sistema blockchain, por meio de contratos inteligentes.

Os próprios membros da organização, em comum acordo, criam suas regras e as executam automaticamente, de forma descentralizada e sem a necessidade de intermediários, diferentemente do que acontece em sistemas tradicionais. Ou seja, são organizações mais abertas e democráticas.


Esqueça o modelo top down

Enquanto as decisões em organizações ocorrem de maneira top down, os DAOS evitam os modelos hierárquicos. Neles, todas as decisões são tomadas em conjunto, por meio de votação no sistema blockchain, num processo completamente transparente e justo.

Cada DAO possui o seu próprio token atrelado a sua governança. Com ele, é possível determinar o poder de voto de cada indivíduo, baseado na quantidade de unidades que possuem.

Também não há um chefe ou líder mandando em seus subordinados, cada participante tem autonomia para ajudar onde for mais necessário.


Por que surgiram os DAOS?

Os DAOS representam uma maneira inovadora de reunir esforços em busca de um objetivo comum. E esse “objetivo” pode ser da mais variada natureza, como por exemplo: investimento, caridade, arrecadação de fundos, empréstimo, compra de NFTs, tudo sem intermediários.

Você sabia que o Bitcoin é considerado o primeiro DAO totalmente funcional? Isso porque ele tem regras programadas, funciona de forma autônoma e é coordenado por meio de um protocolo consensual.


Principais vantagens e desvantagens dos DAOS

Acima, já pincelamos as principais vantagens dos DAOS. Entre os prós, destacamos: a estrutura não-hierárquica e o elevado nível de transparência, uma vez ele herda da tecnologia blockchain sua capacidade de registrar todas as ações realizadas e tornar público esse registro.

A descentralização, seu aspecto democrático e a facilidade de montar um DAO, são também outras vantagens bem relevantes, sobretudo quando comparadas aos sistemas tradicionais.

Porém, o sistema também apresenta alguns pontos de atenção: depois de implantado no blockchain, é difícil mudar suas regras (elas não podem ser alteradas sem o consenso da comunidade). Programar um DAO também é uma tarefa complexa; os contratos e os códigos precisam estar muito bem escritos para não gerarem problemas futuros.

E por fim, a tecnologia blockchain ainda não possui uma regulamentação clara em muitos países, o que pode gerar possíveis entraves.

Mas de tudo, uma certeza: como toda inovação, essa tecnologia veio para ficar e revolucionar a forma como as organizações se estabelecem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.